Bullet Journal • 17/01/2018

#bujo – Bullet journal: Setup básico – um guia completo, parte 2

Já começamos esse papo sobre Bujo no post anterior, que você pode ler clicando aqui (com vídeo e tudo!).
Ryder demonstra a maneira de fazer o seu bullet journal de acordo com o sistema oficial, que vou chamar de clássico. Nesse post, vou mostrar como montar o seu Bujo desta forma. Depois, mostro as coisas que mudei, ou o que eu acho que funciona e o que não funciona.

Veja o vídeo e acompanhe o post abaixo!

 

 

 

Cadernos para uso como bujo
Pra começar, compre um caderno. Preferivelmente de mão, pequeno. Se conseguir encontrar o pontilhado, é o melhor. Ou pautado, como o meu. É bom que seja pequeno pois ele será seu novo objeto de uso diário. Busque os que tem aquela liga elástica que prende as capas. Capa dura ou não, tanto faz. Se quiser ser chique, a marca indicada pelos usuários do Bujo é a Moleskine, mas ela é bem cara, coisa de 100-120 reais, sendo quase um objeto de desejo. Eu comprei um caderninho da Teca que achei bem bom, por 30 reais, na papelaria uma vez. Depois adquiri meus moleskines nos EUA, e até lá eles são salgados (23 dólares num caderno?).

 
Leia mais…

Leia o post
completo
Viagens • 10/01/2018

Brasil é um destino turístico sustentável, diz o The Economist

Cruzei com essa notícia esses dias e fiquei muito feliz!

Pra explicar melhor, o Brasil ocupa a sétima posição no Índice de Turismo Sustentável: melhorando o ambiente de turismo global, do The Economist, que avaliou dez países. A gente ficou atrás da França, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, Japão e Índia, países que investiram mais em políticas e incentivos ao turismo como destino sustentável.

A gente ta ali, juntinho com grandes potências, como um destino de turismo que pensa no meio ambiente, de uma maneira ou de outra.

É claro, não somos perfeitos. O ranking mesmo cita problemas no Brasil que fez com que ficássemos em sétimo lugar – como a violência nas cidades e a instabilidade política e econômica no país. Mas ganhamos pontos pela qualidade do ar e uso responsável da água, e também pelos investimentos em turismo ambiental com responsabilidade.

Por que fiquei feliz?

Tenho pensado cada vez em mais em visitar nosso país quando for viajar. Tenho planos de uma roadtrip de Brasília até Porto Alegre – só falta convencer o Sr. Namorado – e quero visitar resorts de preservação ambiental espalhados pelo país.

A gente tem que aproveitar o que temos por aqui, tem tanta coisa incrível e maravilhosa que bota muito destino internacional no chinelo. 😉

Onde ainda quero ir nesse Brasilzão

Foto: www.matuete.com

Foto: www.matuete.com

A 278 quilômetros de Campo Grande, o município de Bonito, na região sudoeste de Mato Grosso do Sul, é um polo do ecoturismo e referência em preservação ambiental.
Entre seus atrativos estão rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas e cavernas. Fauna e flora exuberantes, com centenas de espécies de aves, mamíferos e répteis ocupando uma vegetação que mistura o Cerrado com a Mata Atlântica.

 

Foto: Thiago Straus

Foto: Thiago Straus

Com 104 mil hectares, o Parque Nacional da Serra da Bocaína (PNSB) é uma das maiores áreas protegidas da Mata Atlântica. Localiza-se em trecho da Serra do Mar, na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo.
Dentre seus principais atrativos, tem o Caminho de Mambucaba (mais conhecido como Trilha do Ouro), as cachoeiras de Santo Isidro, das Posses e do Veado, a Pedra do Frade e a Praia do Caxadaço.

 

Além de ter o altamente instagramável Poço do Egito (na foto), lá também tem roteiros turísticos voltados para o café, com degustações de cafés especiais e gourmets. Vários circuitos turísticos que têm a ver com a bebida, só isso já atrai minha vontade de visitar a região.

E você, onde tem vontade de ir nesse Brasil enorme?

SaveSave

SaveSave

SaveSave

Comente(0)
Topo