Em Brasília#brasíliacafé • 05/01/2018

#brasíliacafé – Acervo Café

Eu sempre falei sobre minha experiência em turistar Palermo Soho, em Buenos Aires. É meu bairro favorito da cidade, gosto da vibe das pessoas jovens, das comidinhas que podemos encontrar por lá, das lojinhas, das pracinhas fofas…

Acima de tudo, gostava de andar pelas ruas e ver que qualquer portinha, qualquer espaço minúsculo, podia ser transformado rapidamente em um estabelecimento comercial – uma cafeteria, um restaurante simples, uma loja de decoração, uma livraria, um brechó. Tudo.

Você não precisa levantar uma fachada gigante com o nome do seu negócio na frente da porta. As pessoas vão encontrar você se estiverem dispostas: se souberem que o que você oferece tem qualidade, procedência e valor, elas vão chegar até lá.

Placa de entrada do Acervo Café

Ambiente do Acervo Café, em Brasília
Pode-se dizer que assim é o Acervo Café, aberto no segundo semestre de 2017 no Guará II, no DF. Na primeira vez que fomos, eu e Sr. Namorado paramos em frente à porta do lugar, olhando pros lados e tentando achar a entrada. Tivemos que contar os números para ter certeza que estávamos no lugar certo.

Suba as escadas e adentre… a casa do seu melhor amigo que faz cafés ótimos. Essa é a impressão que eu tenho ali. Alguns diriam que o ambiente está “caindo aos pedaços”, e eu responderia que “só se seu conceito de ambiente seja a última capa da revista de decoração de 1990”.

O estilo hippiechic cheio de flores com um pouco de itens muito bem selecionados do melhor brechó da cidade combina completamente com todos os objetos que estão ali e com a iluminação de luz baixa e, quiçá, sexy. Isso é criatividade aplicada à vontade de trazer um lugar que ofereça uma experiência, mais do que apenas um produto. Não adianta muito me colocar pra sentar em uma cadeira de mogno perfeitamente polida num shopping caro se você vai me servir um coado queimado.

Ambiente do Acervo Café, em Brasília
Para chegar às mesinhas, sofás e pufes, você necessariamente vai passar pelo Paulo, que é o dono do lugar e o seu barista pelas próximas horas que você quiser passar ali. Enquanto houverem poucos lugares no espaço, ele consegue atender a todos sozinho. Mas a expansão e inevitável se você considerar a qualidade do que ele oferece ali.

Paulo é autodidata de café e diz que aprendeu o que sabe visitando cafeterias e tomando a bebida incessantemente. Pra mim, é a melhor forma de você conhecer café ou qualquer comida em geral: pelo seu paladar. Claro, isso não impede de conhecer a teoria do produto, e por isso estudos teóricos são importantes também.

Ambiente do Acervo Café, em Brasília

Ambiente do Acervo Café, em Brasília

Todos os métodos disponíveis para café no Acervo Café em Brasília.
Não há máquina de espresso (ainda, pelo que o Paulo diz), mas há V60, Chemex, Kalita e aeropress. Os grãos torrados pela AHA! estão frescos e disponíveis. E também tem aqueles ultramicrolotes que na verdade alguém deu de presente ao Paulo, mas ele os mantém lá e, papo vai e papo vem, pode ser que ele te ofereça para provar.

O coldbrew é sempre uma boa opção se o dia estiver quente, e na capital do país é muito provável que esteja. Dê um pump it up no seu cold tomando o Ice Cream Brew – uma bola de sorvete de creme afogada no cold brew.

Tudo é servido charmosamente em béquers, aqueles de laboratório, e copos transparentes. Acho essa forma de servir café, recentemente adotada por alguns lugares, uma coisa genial.

Apesar de não manter muito bem a temperatura da bebida, te da a oportunidade de ver coisas belas como a separação de crema e líquido de um espresso, ou os lindos cubos de gelo em um coldbrew. (aliás, namore com alguém que fale de você como eu estou descrevendo o café agora, ok?)

Um V60 coado em um béquer

O famoso bolo de café com chocolate do Acervo Café
Depois de apreciar algum método – eu recomendaria V60, sempre, mas a Kalita também proporcionou bons cafés a nós – enalteça seu paladar com uma fatia do bolo de café e chocolate da mãe do Paulo. São 18 anos fazendo essa receita, ele diz. Em nome desses 18 anos, eu recomendo fortemente que você o prove. Não há como se arrepender. Esse bolo tem sido o meu bolo favorito desde que o provei e sua fama tem tomado proporções maiores do que as previstas, eu acho. É pra provar que não precisa de ingredientes importados e chiques, ou decorações ostensivas, para que um doce seja arrasador.

Se bolo não é sua onda (mas sinceramente, você vai ser uma pessoa mais feliz se provar esse, vai por mim!), o waffle da casa também vale a pena: amanteigado, ou com alguma cobertura doce.

O famoso bolo de café com chocolate do Acervo Café
O Guará II guarda um sentimento diferente pra mim, pois passei parte da minha infância lá. Inclusive, se ainda morasse no mesmo lugar, poderia chegar ao Acervo a pé em cinco minutos todos os dias. Não sei se isso afetou meu julgamento – será?

Fico com essa sensação de que aquele cantinho, escondido por uma escada que brota de uma portinha do lado de uma academia de MMA – lá bem poderia ser a casa de um amigão que gosta de receber pessoas confortavelmente para tomar um bom e bem feito café. Opa, acho que o Acervo é isso mesmo.

 

 

Visitar:
  • Acervo Café
    Facebook | Instagram
  • Endereço
    QE 40, conjunto H, lote 18, Guará II. É a pequena porta do lado da Academia R8.
  • Horário de funcionamento
    Terça a sexta – 17:00 às 22:00
    Sábado e domingo – 16:00 às 22:00
    Segunda fechado.
Comer e Beber:
  • V60 150ml
    R$ 8 a R$ 12, a depender do microlote
  • Kalita 300ml
    R$ 14 ou R$ 18, a depender do microlote
  • Coffeecake – bolo de café com chocolate
    R$ 8
  • Coldbrew, puro com gelo
    R$ 10
Comente(3)
Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
  1. em 09 de janeiro de 2018 - 16h38

    Ele é exatamente o que vc expressou em foto, vídeo e em palavras ♥️

  2. em 23 de janeiro de 2018 - 21h01

    Estou com viagem marcada de Brasília e amando essas dicas de cafés diferentes pra conhecer por aí Juh <3

    • em 26 de janeiro de 2018 - 07h20

      Você vai amar! Quando vc vem? Avisa, quem sabe não da pra eu te levar lá 😀

Topo