Em Brasília#brasíliacafé • 27/01/2018

#brasíliacafé – Thursday Night Throwdown (TNT)

Se você já se perguntou o que faz um barista quando não está atrás da máquina de dois grupos e do vaporizador preparando bons cafés – bom, eu já me perguntei isso -, a resposta pode ser “relaxando”. As pessoas descansam, também, né. E descansar, para esse pessoal, tem que ser em horários que tradicionalmente nós, os consumidores, não queremos consumir. Pense então como é reunir os amigos, se você só tem amigos baristas.

Reunir os amigos deve ser o objetivo central do Thursday Night Throwdown, conhecido como TNT. Na última quinta-feira de todo mês, baristas, profissionais, amadores e entusiastas de cafés, espressos, cappuccinos e principalmente latte art se reúnem em uma cafeteria para, depois do horário de trabalho, relaxar em uma competição da melhor latte art entre os inscritos no campeonato.

TNT Campeonato de Latte art em Brasília

TNT Campeonato de Latte art em Brasília
Acontece que o relaxar deles envolve, é claro, café. Porque pra você ser barista, definitivamente, você precisa de paixão, e quando você é apaixonado pelo que faz, você quer mexer com aquilo o tempo todo. Qual outra forma seria mais lógico de reunir um catatau de baristas, então?

Na verdade, o TNT é um evento mundial, com o mesmo propósito em todos os lugares: juntar colegas e conhecidos de profissão para uma competição amistosa de latte art. A inscrição dos participantes é agregada à presentinhos de patrocinadores para virar o prêmio final. Os competidores fazem seus latte arts para os jurados, que não sabem quem fez qual xícara, e são julgados por simetria do desenho, aparência e contraste de cores. Em um esquema de chaves digno de futebol, os vencedores passam para as próximas chaves e, ao fim, uma dupla compete pelo primeiro lugar.

As bebidas são produzidas com insumos fornecidos em conjunto pelas cafeterias participantes, de maneira colaborativa, e alguns fornecedores patrocinam de vez em quando com outros ingredientes – por exemplo o leite, como foi o caso do TNT brasiliense de janeiro, com a Fazenda Cecília que trouxe um leite fresco e com mais gordura que o padrão, que tornou-se até um desafio a mais para os baristas acostumados com leites pasteurizados (e vaporizar o leite corretamente é um dos maiores desafios pra um latte art).

TNT Campeonato de Latte art em Brasília

Marcão do Los Baristas, que renega redes sociais, naquele espresso.

TNT Campeonato de Latte art em Brasília

TNT Campeonato de Latte art em Brasília
Os cappuccinos são servidos gratuitamente aos que estiverem presentes, e foi por essa razão que eu brotei por lá (alok@ do cappuccino). Mas, sinceramente, depois de comparecer, eu estou mais inclinada a ir sempre pelo evento, do que pela comida.

Foi uma noite tão divertida que eu me inspirei a virar barista só para poder competir, mesmo que seja pra perder na primeira chave. Observando a competição, você percebe que a graça da coisa não é ganhar o montante final de dinheiro, ou os mimos cafeinados. Como o @marcelors, vencedor do TNT de janeiro/2018, disse: “o TNT só tem duas regras: tem que ter cerveja, e foda-se”. E tinha bastante chopp, o que causa ainda mais felicidade no evento – mais gritaria, mais empolgação quando alguém acerta a latte art, mais gritos de guerra pra motivar o colega da outra cafeteria a fazer aquela rosetta, mais risadas e piadas.

TNT Campeonato de Latte art em Brasília

TNT Campeonato de Latte art em Brasília
Todos os rostos conhecidos nas cafeterias que eu visito pela cidade, juntos, se divertindo, conversando, trocando conhecimentos e ideias, seja sobre café ou sobre a vida, aproveitando um momento de descanso, relaxamento e descontração da profissão – que é tão puxada, com horas e horas de trabalho, lidando com público e, ao mesmo tempo, com uma ciência como é o café.

No curso de barista que fiz com a Sulayne Shiratori, me lembro de uma coisa que ela falou durante a parte teórica e que me marcou:

Tudo que foi feito antes do espresso – o plantio, a colheita, a seleção, o ensacamento, o cupping, as torras, o armazenamento, a moagem – todo esse trabalho de centenas de pessoas pode ir pro ralo se o barista não for bom.

Por isso essa profissão é tão importante para quem aprecia um bom café. Todos aqueles 20 e poucos baristas reunidos anteontem no TNT de janeiro, no Los Baristas, dependemos deles para ter uma bebida e uma experiência incríveis.

Que o TNT continue por muitos anos. Pretendo ir sempre, afinal é aberto para nós, humildes consumidores de cafeína, admirarmos o trabalho desse pessoal incrível!

Comente(0)
Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
Topo