ViagensAmérica do SulUruguai • 27/12/2017

#viajando – Os 4 melhores cafés de Montevidéu

Comemos muito bem em Montevidéu, eu e Sr. Namorado. Quando notamos que não faria diferença entre uma padoca de rua e um restaurante com preços normais (ambos seriam caros), decidimos aproveitar a viagem comendo bem e provando tudo que tínhamos direito.

Em especial, para os cafés que visitamos, não tínhamos outra opção senão desligar o botão da economia: por lá, café é quase uma iguaria rara. Um simples espresso curto custa aproximadamente 8 reais por lá, e os cappuccinos chegam a 12 reais, convertidos. Preços um pouco acima do que nós já somos acostumados a pagar bebendo em cafeterias especiais no Brasil.

O motivo, segundo uma uruguaia barista super simpática em Colonia del Sacramento, é que é simplesmente muito difícil de importar grãos de café para lá. O clima e terreno do Uruguai não são propícios para o cultivo próprio, o que torna tudo muito caro, seja quando é cultivado ou importado. Além disso, os uruguaios apenas não são tão fãs de cafés. A cultura tem muito mais a ver com o famoso mate, que você pode ver em todas as ruas sempre alguém carregando sua cuia e garrafa térmica com água quente.

Mesa de comidas no La Madriguera

Mesa cheia com as comidinhas e cafés no La Madriguera, uma das estrelas desse post.

Mas, mesmo assim, a cena cafeística do Uruguai tem crescido nos últimos anos, como uma expoente hipster alternativa. Em Montevidéu, encontramos quatro lugares bem bacanas para você que curte um bom café! Veja o post completo e assista ao vídeo também!

The Lab Coffee Roasters

Entrada do The Lab Coffee Roasters

Lá na Ciudad Vieja, depois que você visitar os pontos turísticos e passear pela Peatonal Sarandí, é só parar no número 285 para tomar um bom café gourmet. Logo na entrada, um pequeno stand com grãos de café expostos em um pote já te chama atenção. Lá dentro, você é recebido por gigantes sacos de café como objetos de decoração. Escolha uma mesa simples ou uma com banquinhos pendurados diretamente do teto, mas antes dê uma olhada nas guloseimas do lugar: tem bolos maravilhosos para acompanhar sua bebida, se açúcar for o seu esquema. E o cardápio oferece opções de lanches salgados.

Cardápio de grãos do The Lab Coffee Roasters

Ambiente do The Lab Coffee Roasters
Tudo muito enxuto, porque a estrela do lugar é o café, definitivamente. Tudo ali remete ao café, desde as gigantes sacas de café, até as dezenas de utensílios de preparação da bebida: chemex, v60s, coadores comuns, sifões de diferentes tamanhos e um monte de prensas francesas. E como o nome é The Lab, o local também se esforça em mostrar semelhanças com laboratórios, com tubos de ensaio, pipetas e copos de beckers espalhados.

Ambiente do The Lab Coffee Roasters

Cappuccino e espresso do The Lab Coffee Roasters

Ambiente do The Lab Coffee Roasters
No The Lab, encontramos opções de grãos diferentes, o que é raro no país. Tomamos um espresso com grãos de Santa Rita, de El Salvador, cultivados na encosta de um vulcão. Completamos com um Hario v60 usando um grão da Sumatra – encorpado, pouco ácido e amargo. Ambos perfeitamente extraídos.
A simpatia da barista e da dona do local deixaram a visita ainda melhor. Se estiver pela Peatonal, em visita, não deixe de conferir esse espacinho único. A marca ainda tem outros dois pontos em Montevidéu, basta conferir no site deles o endereço dos demais (lá no final do post tem tudo!).

Bar Facal

Bar Facal
Talvez no seu roteiro de visitas esteja inclusa a famosa Fuente de los Candados – ou a fonte de cadeados do amor. Sabem aquela ponte na Itália, ou aquela de Paris, cheia de cadeados de casais com o nome impresso? Pois é, Montevidéu também tem o seu point para tal. E bem de frente à fonte atochada de cadeados, fica o Bar Facal. A fonte, aparentemente, foi adquirida por eles.

Fonte dos Cadeados em Montevidéu, de frente para o Bar Facal
O bar e restaurante é o mais antigo do centro de Montevidéu, aberto em 1882. Além da fonte, há também uma estátua do cantor Carlos Gardel, que é quase um ídolo nacional.
O espresso aqui é bom, mas nada excepcional. Amargo e bem encorpado. Sem nenhuma indicação de qual o grão e sem muita frescura no atendimento ou no serviço. É um genuíno restaurante de locais, muitos dali pareciam melhores amigos dos garçons. Não deixa de ser um atendimento cordial, mas não espere tratamento vip. Você é vip se visitar aquele lugar há 20 anos, como certamente aqueles senhores o fazem.

Waffle do Bar Facal
Nos esbaldamos em um waffle com sorvete, crocante de açúcar e amendoim e doce de leite que estava maravilhoso. Um dos melhores doces da viagem. A massa do waffle é bem neutra e pouco doce, e o crocante é quase uma rapadura, o que traz um amargor e queimadinho no fim da mordida – muito bom!
Simplesmente uma visita que vale a pena pelo histórico do restaurante, e também se você quiser ver tango de graça: de segunda a sábado, às 13h30, à céu aberto. Escolha uma mesinha do lado de fora, tem muitas, e aprecie o show.

La Madriguera

Entrada do La Madriguera
Um dos pontos turísticos de Montevidéu incluem o famoso Casino e Hotel Sofitel, que fica bem distante do centro, no bairro de Carrasco – onde a nata da alta classe uruguaia nasce, cresce e se reproduz. Se você passar por lá, recomendo que gaste um tempinho e umas calorias nesse café, que fica a alguns metros do Casino, ao lado de um Freddo. Ele é meio escondido e não tem placa enorme anunciando “ENTRE AQUI”, então você precisa ficar atento à entradinha discreta na lateral da rua. O ambiente é aconchegante e parece que você está na casa de um conhecido. Compensa esperar do lado de fora se o clima estiver ameno, sem sol. O espresso é muito bem tirado de uma belíssima La Marzocco, e eles sempre informam qual o lote do grão. Se você entender espanhol, diferente de mim, pode perguntar ao barista qual é e ele vai te explicar com prazer. É só que eu não ia entender nada mesmo, então deixei isso a cargo do Sr. Namorado.

Ambiente do La Madriguera

Moinho do La Madriguera
Algo para acompanhar seu café? Recomendo fortemente o bolo de coco, que parecia ser retirado do Brasil. Inclusive, desconfio que ali havia tapioca. Os flocos de coco usados na massa são grandes e isso confere uma textura incrível. Além de tudo, ele é molhadinho, igual o nosso.

Ambiente do La Madriguera
Outra pedida sem arrependimentos é o alfajor de coco com recheio de doce de leite, no estilo tradicional uruguaio: sem casquinha de chocolate ou de claras, apenas o biscoito e o doce de leite, passados no coco ralado. É um pequeno monstrinho de calorias, é só ver no vídeo. Mas vale cada mordida.

La Farmacia

Entrada do La Farmacia
Inaugurada recentemente, essa cafeteria fez sucesso já no começo por ter uma temática curiosa: uma farmácia antiga de 1870, que era exatamente o que ficava naquele espaço até ser adquirido pelos donos do café e reformado.

Ambiente do La Farmacia

Ambiente do La Farmacia
Mas eles mantiveram a identidade do lugar e isso o torna uma visita digna até para quem não é ultra fã da bebida negra. Afinal não é sempre que você pode sair futucando gavetinhas de farmácias antigas por aí, com frascos de “remédios” que agora são essências para bebidas e armários de vidro nos quais eles colocam produtos para vender, como grãos, chaleiras e utensílios para extrair café.

V60 e espresso com bolo de laranja e chocolate do La Farmacia

Bloco de mel adoçante de cafés do La Farmacia
O café é muito bom e ficou em terceiro lugar na contagem do Sr. Namorado. O espresso era um blend de grãos de Honduras e do nosso lindo Brasilzão. O meu V60 foi feito de grãos apenas de Honduras – ambos com tons cítricos, mais abertos e com acidez controlada no paladar.

As comidinhas? Saiba que o La Farmacia é do mesmo dono do La Madriguera, e as comidas de ambos são iguais, com uma ou outra exceção – tipo o bolo de laranja e chocolate que provei. Pode ter sido apenas uma questão de horário, já que fomos no Madriguera assim que abriram e talvez não tinha chegado tudo na casa ainda.

Ambiente do La Farmacia

Ambiente do La Farmacia
No mais, foi um dos ambientes que mais curti ficar. Passamos um bom tempo ali, apenas apreciando a comidinha, a música delicada e calma e olhando o movimento uruguaio da rua.
Se você quiser saber mais sobre como era o local antes, quando era uma farmácia mesmo, e como foi a reforma para transformá-lo neste cantinho maravilhoso, veja esse post do Ministerio de diseño, que conta tudo com fotos de antes e depois.

E que tal ver isso tudo em movimento? Olha o vídeo com esses 4 points super bacanas!

 

Comer e Beber:
  • The Lab Coffee Roasters
    Site | Instagram | Facebook
  • Endereço
    Sarandí 285, Montevidéu, UY
  • Horário de funcionamento
    Segunda e sábado – 10:00 às 18:30
    Terça a sexta – 8:30 às 18:30
  • Espresso – 70 pesos uruguaios
    Cappuccino – 130 pesos uruguaios
  • Bar Facal
    Site | Facebook
  • Endereço
    Av. 18 de Julio, Montevidéu, UY
  • Horário de funcionamento
    Segunda a quinta – 8:00 às 1:30
    Sexta e sábado – 8:00 às 3:00
    Domingo – 9:00 às 1:30
  • Espresso (chama “café” no cardápio) – 69 pesos uruguaios
    Waffles com sorvete, doce de leite e crocante
  • La Madriguera
    Site | Facebook
  • Endereço
    Cambara 1614, Montevidéu, UY
  • Horário de funcionamento
    Segunda a sexta – 8:00 às 20:00
    Sábado – 9:30 às 13:00 e 16:00 às 20:00
    Domingo fechado.
  • Espresso – 80 pesos uruguaios
    Cappuccino – 130 pesos uruguaios
    Bolo de coco maravilhoso
  • La Farmacia
    Facebook | Instagram
  • Endereço
    Calle Cerrito 550, Montevidéu, UY
  • Horário de funcionamento
    Segunda a sexta – 9:00 às 20:00
    Sábado e domingo fechado.
  • Espresso – 70 pesos uruguaios
    Cappuccino – 110 pesos uruguaios
    V60 – 100 pesos uruguaios
Comente(0)
Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
Topo