ViagensBrasil • 19/08/2017

#viajando – Búzios em baixa temporada

Búzios foi muito bom de conhecer. Pessoalmente, achei o lugar maravilhoso, sendo toda essa beleza que as pessoas falam mesmo. Mas talvez tenha sido por alguns fatores bem particulares que tornam a estadia melhor para mim, exclusivamente. E vou pontuá-los a seguir.

A cidade é aquela coisa meio interiorana turística, com um quê de celebridade. Em alguns pontos e bairros, me lembrou bastante a calmaria de uma cidade pequena onde todo mundo se conhece e compram pão e refrigerante na casa ao lado pro lanche da tarde. Daí você anda alguns metros a mais e cai em uma rua que mais parece retirada diretamente de Miami Beach.


Isso de certa forma me agrada, pois gosto da ideia de poder ter o melhor de dois mundos: uma badalação e uma caseirice. Conforme meu humor, posso escolher pra que lado da cidade eu vou. E como é tudo a uma distância de uns 15 minutos de carro, na maioria das vezes, é bem simples mudar de um universo pro outro.

Praia de Geribá em Búzios
Outro ponto alto foi que viemos fora da alta temporada. Tanto escolhemos um período frio, agosto, quanto também fugimos dos dias de férias no país. Então eu não sei como é Búzios durante a alta temporada, mas pelo que ouvi parece ser impraticável de sequer andar de carro por algumas ruas.
Fugimos da galera e tivemos dias bem tranquilos. No condomínio onde ficamos com casa alugada, só tínhamos nós, então não fomos obrigados a ouvir músicas que não nos agradam nem nos estressamos com a falta de espaço na praia. Acho que isso contribuiu e muito para que a viagem fosse ainda melhor.

E não perdemos a praia, apesar do frio e nuvens em vários momentos. O sol dava as caras quando podia, permitindo meu bronzeado falso ocorrer, e também pudemos ver um por do sol memorável que ficou ainda mais maravilhoso com algumas nuvens no céu, desenhando figuras no céu.

Ju Morgado nas pedras da Praia de Geribá, em Búzios
Para mim, foi ideal desse jeito: não sou de ficar o dia todo no sol e também não curto badalação extrema, nem na praia nem na cidade. Então, Búzios foi maravilhosa do jeitinho que foi. Inclusive, quis voltar no dia seguinte de carro pra trazer o Freddie, pois as praias estavam cheias de cachorros já que estavam bem vazias de pessoas. Segundo uma buziana (sim, é assim que chama quem é de lá), quando não tem muita gente nas praias, ninguém liga de andar com os cachorros. Dog friendly em baixa temporada, então.

Por do sol na praia da Tartaruga, em Búzios

O mais belo por do sol que já vi, na Praia da Tartaruga.

No entanto, encontramos diversos locais que pareciam fechados exatamente por não estar em alta temporada – então, talvez nem valia a pena abrir. Na praia da Ferradurinha, por exemplo, não havia um lugar para comprar comidinhas ou bebidas, nem pessoas para alugar os barquinhos que estavam parados no local.
Andando pelas ruas perto de onde ficamos hospedados – que é atrás da praia de Geribá – vimos algumas lojas fechadas, mesmo em fim de semana e em dias comuns.

Se não te incomoda o fato de ver alguns lugares fechados, como barzinhos de praia ou boates (a Privilege, famosa da cidade, também estava fechada), ou se você não liga de um clima até frio a noite – vir em agosto para Búzios é um período muito bom e eu recomendo.

Dicas:
  • – Confira a previsão do tempo e tenha uma ideia mais ou menos de quando vai ter sol, pra não perder 100% das praias.
    Nos dias que constavam como ventania, por exemplo, fez bastante sol exatamente porque o vento levou as nuvens embora.
  • – Se prepare com alguns mantimentos no caminho do RJ para Búzios.
    Porque as coisas são realmente mais caras por lá, até em supermercados – um sabonete Dove que eu pago 1,90 em Brasília estava por 4,79.
  • – A internet 3G/4G pega na maior parte dos lugares, mas tem alguns pontos “vazios” de conexão que você subitamente fica inacessível.
    Se estiver se guiando via GPS, Waze, Googlemaps, é bom baixar o mapa offline para se garantir nesses apertos.
  • – Comer em casa, no hotel se estiver incluso ou no seu Airbnb, sempre vai ser mais barato do que na Rua das Pedras ou locais próximos.
    Eles vivem de turismo, então claro que cobram mais caro nisso.
  • – Se souber espanhol, você ta garantido duplamente por lá.
    Tem tanto argentino e espanhol por lá que tinha momentos que eu achava estar em Buenos Aires. Não escutava um português sequer. Eles estão com MUITOS negócios por lá – lojas, restaurantes, bares, cafeterias, tudo. E nem sempre eles tentam o portunhol, na maioria das vezes eles falavam em espanhol mesmo e a gente tinha que se virar pra entender.
Comente(1)
Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
  1. […] de papel ou aquela meia que escaldamos sempre, e que, sinceramente, faz um café excelente também. Na última viagem de férias, para Búzios, não compramos filtro de café para a hospedagem na casa. Esquecemos. Mas lá tinha a famosa meia […]

Topo