VidaCultura • 22/11/2017

Netflix do mês: The Sinner

Confesso que só decidi assistir The Sinner porque Jessica Biel estava no papel principal e ela é uma das atrizes que eu considero péssimas. Pelo menos uma que faz péssimas escolhas. Mas eu gosto de sempre desafiar meus preconceitos, e dou chances para mudar de ideia quanto a alguns atores.

Assisti ao primeiro episódio na esteira da academia, depois que descobri a mágica função do Netflix de baixar vídeos no celular. Quando terminei, até deu tilt no meu sistema operacional cerebral. Pensei “não é possível ser mesmo a Jessica Biel. Ela sempre foi boa assim?”.

Biel faz a protagonista Cora, uma mãe e esposa aparentemente normal e que, uma bela manhã na praia, mata um jovem com sete facadas com a faca que usava para, minutos antes, cortar uma pêra para seu filho. Ninguém entende nada, nem ela mesma, que não sabe dizer porque matou e porque aquele cara. Ela apenas aceita o destino de ser presa e condenada, já que mais ou menos 30 pessoas foram testemunhas do ocorrido.

Jessica Biel é Cora Tanneti.


Continuei pro segundo episódio em parte pela curiosidade de saber o que diabos estava acontecendo nessa história e também porque queria ver até onde ia a boa atuação da moça.

Ela não decepciona. Segura firme até o fim do seriado migrando de confiante em seu destino para completamente descontrolada. Chora demais, mas quando você terminar o seriado vai se perguntar se você também não estaria chorando o mesmo tanto que ela.

Bill Pullman também está na série, em um papel clichê mas adequado de detetive com problemas pessoais e sem tato para relações humanas. É ele que decide investigar melhor essa história já que ninguém sai por aí matando os outros sem nenhuma razão. Sinceramente, achei o desenvolvimento dele enquanto personagem um pouco inútil pra história, mas se você parar pra avaliar, não tinha o que colocar no lugar das cenas pessoais dele.

Bill Pullman como o Detetive Harry Ambrose, foto de Peter Kramer

Eu não sei porque ninguém está falando sobre The Sinner. Acho que o timing foi ruim, de sair quase junto de Stranger Things que tem um super hype,

O seriado é super completo: tem relações amorosas, tem personagens imperfeitos, tem relações familiares, tem o julgamento da sociedade, tem mistério, tem até sexo. Pode escolher o que você quer.

Contenha o impulso de saber spoilers sobre a história. Eu tenho essa mania, mas me contive e foi a melhor coisa que fiz. A cada virada, o seriado me impressionava com algo que eu não estava esperando. Vinha uma cena, e eu dizia “ah entendi tudo agora, foi isso”, e daí uns 10 minutos depois ele desfazia minha crença e eu estava à deriva de novo.

Quando você terminar tudinho, vai entender o nome do seriado. Não da pra dizer mais do que a sinopse do primeiro episódio, e é suficiente pra você decidir se quer assistir ou não. Curtinho, tem só 8 episódios, como é o estilo Netflix de ser.

 

Netflix do mes:
  • The Sinner
    1a temporada, 8 episódios de 40 minutos cada
  • O seriado acompanha Cora (Jessica Biel) que, durante um ataque de raiva inexplicável, comete um ato de violência assustador – e, para seu horror, sem saber por quê. O investigador Harry Ambrose (Bill Pullman) é encarregado de descobrir um motivo, mesmo que esteja enterrado no inconsciente da moça.
Comente(0)
Comente pelo Facebook
Comente pelo blog
Topo